Sábado, 7 de Junho de 2008

Alter-ego

“Havia ali qualquer coisa, uma vaga sensação de presença insinuando-se-lhe nas profundezas do subconsciente, um contorno desafiador materializando-se num quê tão indistinto quanto indizível, uma abstracta noção de perigo correndo-lhe espinha acima num involuntário eriçar de cabelos, a pele arrepiando-se num ligeiro tremor, os temores ancestrais vertendo-se em gotas de suor frio. Imobilizou-se. Um silêncio sepulcral, acentuado pelo fôlego contido, envolvia-o como um manto tão negro como a escuridão da cave bafienta onde ousara penetrar, e era quebrado apenas pelo pungente martelar descompassado do coração, o sangue carregado de adrenalina latejando nas artérias, a atenção a tudo o que se passava em seu redor redobrando-se numa desproporcionada tensão. Um vulto moveu-se, o raspar de garras no chão de pedra nua chegando-lhe ténue aos ouvidos, os seus olhos divisando o brilho amarelado e doentio de outros olhos, a entidade que invadira aquele lugar supostamente inexpugnável mirando-o num misto de escárnio e desafio. Num salto impossivelmente brusco, atirou-se à figura medonha que reconhecera de imediato, um grito animalesco rasgando-lhe a garganta pelo gume afiado do ódio transbordante. Detestava mortalmente aquele alter-ego…”

V.A.D. em Alter-ego
Imagem: Alter-ego (original em http://imagecache2.allposters.com/images/CORPOD/CB008385.jpg)

publicado por V.A.D. às 03:00
link do post | comentar | favorito
16 comentários:
De **** a 7 de Junho de 2008 às 23:35
"... uma abstracta noção de perigo correndo-lhe espinha acima num involuntário eriçar de cabelos..." - não fosse o título do texto e não suspeitaria até à última palavra qual a natureza desta presença que vais descrevendo. O texto está especialmente soturno e desperta com especial vigor os sentidos à medida que nos embrenhamos nos seus significados. Há uma agressividade excessivamente animalesca, um medo assustadoramente realista, uma atitude exageradamente instintiva que impressiona e fascina. Já havias falado dum "louco", dentro de "ti" (a personagem), mas esta surge-nos mais repulsiva, mas perversa, mais palpável num contexto que interpretei ( provavelmente erroneamente) como muito metafórico.
Surge um insdiscritível pânico quando não nos identificamos com algo que faz parte de nós mesmos, quando o espelho devolve no nosso olhar "o brilho amarelado e doentio de outros olhos"

"um grito animalesco rasgando-lhe a garganta pelo gume afiado do ódio transbordante" - pouco consigo dizer, meu amigo - está verdadeiramente arrebatador e deveras sublime

Beijos
e um noite na qual este "alter-ego" te dê descanso,

Sophia


De V.A.D. a 8 de Junho de 2008 às 23:20
De facto, amiga, só depois da publicação me apercebi que o título era excessivamente revelador, mas optei por não fazer quaisquer alterações...

O texto nasceu após a leitura de um artigo onde, entre outros, o tema da dissociação de personalidade era abordado. Embora a grande maioria das pessoas nem sequer pense neste assunto, a verdade é que todos nós apresentamos mais do que uma faceta, o ambiente que nos envolve determinando muitas vezes uma alteração de comportamento, as complexidades da mente revelando-se através de atitudes anormais e de sentimentos contraditórios.

Felizmente, amiga, este relato não passa de um exercício de escrita que, no entanto, pode ilustrar algumas situações concretas, em particular a de um indivíduo que conheço bastante bem e do qual sou amicíssimo. Pode dizer-se que lhe conheço algumas lutas intestinas e sei do esforço que faz para resistir ao negrume de algumas das suas facetas...

Fico contentíssimo por ter conseguido criar um escrito credível e com a capacidade de suscitar interesse... :-)

Agradecendo as tuas palavras, sempre cheias de gentileza, desejo-te uma óptima noite e uma excelente semana, amiga!

Um beijo e um enormeeeeeeeee sorriso... :-)




Comentar post

.quem eu sou...


. ver perfil

. seguir perfil

. 35 seguidores

.pesquisar

 

.Novembro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. O livro de Enoch

. O Ramayana

. Mahabharata महाभारत

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

.arquivos

. Novembro 2021

. Agosto 2019

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds