Sexta-feira, 7 de Março de 2008

Cidónia (X)

                   

“A noite fora espantosamente fria, um érebo gelado e seco assenhoreando-se das horas sem luz, as temperaturas atingindo valores inconcebivelmente baixos, os ventos aninhando-se numa hibernação transitória até a luz os trazer de novo à actividade. O amanhecer revelou-se desusadamente alvo, a neve carbónica cobrindo fendas e manchando a rubidez da superfície com reflexos extraordinários, coroando de brilho a última manhã marciana. Trinta dias de puro êxtase e de laboriosa pesquisa haviam-se escoado por entre fascínio e cognição, a expedição terminando abruptamente, as ordens vindas da Terra representando uma peremptória antecipação do regresso. Registadas nas câmaras de vídeo e gravadas nas nossas memórias, estavam demasiadas respostas a outras tantas questões. Desde que havíamos penetrado nos segredos da Face, as comunicações passaram a ser encriptadas e estritamente de voz. A nenhum dado foi permitida a transmissão, nenhuma imagem alcançando as antenas apontadas a Marte, o sigilo absoluto acautelando o elevadíssimo investimento das seis nações envolvidas. Devo referir que sempre foi feroz, o meu antagonismo a esta decisão. Creio na verdade e na transparência, o reconhecimento de que Lowell havia sido um visionário afigurando-se-me a atitude apropriada, a consideração de que Vishnu nascera no planeta vermelho parecendo-me prenhe de razoabilidade... Sim, porque eu estive lá e vi…!

 

Epílogo

 

A viagem de retorno arrastou-se, longa e sofrida, as recordações da incrível peripécia insinuando-se, vívidas, nos sonhos serenamente inquietos, as emoções resultantes de uma experiência única na história da humanidade anunciando-se nas olheiras dimanantes de uma ascese científica que podia ter mudado definitivamente o futuro. Fomos recebidos como heróis, aclamados como pioneiros e, contudo, quase decorrida uma década, o secretismo continua a negar o esclarecimento, cerceando o avanço. Ainda que forçado a esconder-me atrás de um pseudónimo e de um I.P. flutuante, decidi levantar a ponta do véu.”

V.A.D. em Cidónia

Vídeo: Estruturas Artificiais em Marte (www.youtube.com/watch?v=Di85p5vfo0k&feature=related)


publicado por V.A.D. às 03:10
link do post | favorito
De **** a 7 de Março de 2008 às 19:15
"Registadas nas câmaras de vídeo e gravadas nas nossas memórias, estavam demasiadas respostas a outras tantas questões " e que provocavam uma tremenda enchente de novas perguntas na mente de cada um daqueles seres humanos que partia daquele lugar de sonho.
Tive inveja de cada um desses 30 dias, de cada uma dessas 30 noites frias, desses 30 amanheceres alvos, mas não desta “longa e sofrida” viagem, nem tão pouco deste muito longo e ainda mais sofrido silêncio imposto, deste véu mais pesado do que qualquer burca que faz esconder algo maravilhoso com a derradeira natureza desta especial “Face”. A ciência, ao longo dos tempos e principalmente neste momento, evoluiria muito mais depressa caso houvesse um clima de abertura, de partilha de informações, de colaboração para a obtenção de conhecimentos que derradeiramente podem afectar toda a humanidade. Há algumas instituições científicas que já procuram fazer isso, deixando as patentes que vão conseguindo no seu seio sem qualquer restrição de consulta e desenvolvimento. Contudo se tudo no meio científico se baseasse “na verdade e na transparência” a economia ressentir-se-ia. Como já tinha dito noutro contexto “outro valor mais alto se alevanta” e adia-se assim um pouco mais o revelar dum conhecimento fantástico, mais umas décadas se acrescentam aos séculos que esperámos para dar de caras com a mensagem em Marte – a humanidade demorou a preparar os meios técnicos para decriptar a mensagem, mas esses acham que nunca estará pronta para a conhecer.

Adorei este conto... deveras estás de parabéns.

Beijos
ansiosos pela próxima história

Sophia


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


.quem eu sou...


. ver perfil

. seguir perfil

. 35 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Mahabharata महाभारत

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

.arquivos

. Agosto 2019

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

SAPO Blogs

.subscrever feeds