Quarta-feira, 25 de Julho de 2007

Calamidade

Vivemos num mundo de rápidas mudanças, ao qual a tecnologia trouxe o conforto e a possibilidade de uma vida mais longa, inconcebíveis no tempo dos nossos antepassados. Mas este mundo vive sob a ameaça de eventuais catástrofes, como um desastre nuclear, uma nova epidemia virulenta, ou uma alteração radical do clima. A ciência permitiu ao homem compreender muitas das forças destruidoras que nos podem arrasar, mas também acrescentou muitos perigos à nossa existência. Apesar das suas incertezas e problemas, este é um planeta em que podemos viver, o ponto mais aprazível que conhecemos do Universo para a nossa espécie. No intuito de o manter tolerável e de mitigar futuras calamidades, os governos devem aprender a cooperar entre si na condução das instituições sociais e na utilização harmoniosa dos recursos naturais. A ciência é o principal instrumento de que o Homem dispõe para criar um equilíbrio praticável entre as necessidades da civilização e o carácter volúvel da Natureza. Contudo, ciência e tecnologia são, por si próprios, projectos experimentais. Devem merecer toda a atenção e todo o cuidado, para que não se virem contra a humanidade.

Imagem: Alterações Climáticas (http://weblog.leidenuniv.nl/fdr/1948/climate-change.jpg)

música: Things Have Changed (Bob Dylan)

publicado por V.A.D. às 02:38
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Domingo, 1 de Julho de 2007

Fusão

Imaginem agora uma estrela em miniatura, dominada, obedecendo às rédeas do Homem. Eu sei que parece ficção, mas a União Europeia e outros seis países assinaram em Paris, no passado mês de Novembro, o acordo sobre a construção do ITER (Reactor Termonuclear Experimental Internacional, na sigla inglesa). Este é um dos projectos científicos mais ambiciosos da História, e deverá revolucionar a produção de energia mundial na segunda metade deste século. O reactor experimental de fusão ficará localizado em Caradache, a 60 quilómetros da cidade francesa de Marselha e a sua construção deverá iniciar-se já no próximo ano. A matéria-prima da fusão nuclear é o plasma de hidrogénio, uma espécie de sopa semelhante à que existe no interior das estrelas. Chamado de quarto estado da matéria, o plasma é composto por matéria ionizada, ou seja, átomos ou moléculas cujos electrões se libertaram da prisão electromagnética que os mantinha em interacção com os núcleos atómicos. Em condições extremas, com temperatura e densidade adequadas, estes núcleos chocam frequente e violentamente uns com os outros e fundem-se em etapas sucessivas, criando uma estrutura muito mais estável: o hélio. Estabilidade está associada a baixa energia; de facto, neste processo, uma imensa quantidade de energia limpa é libertada.

Imagem: Nas Nossas Mãos, As Estrelas (http://webclub.home.sapo.pt/maos-e-poder.jpg)

música: New Star In The Sky (Air)

publicado por V.A.D. às 03:27
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

.quem eu sou...

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. Calamidade

. Fusão

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

blogs SAPO

.subscrever feeds