Sábado, 14 de Abril de 2007

Giger

"O mundo antropomórfico, o reino do Homem, aproxima-se do fim. A sua adoração e o seu despotismo, a glorificação da sua auto-estima e do seu meio, a "arte para a arte" e a "arte pela arte" estão ultrapassadas. A autonomia humanística e o automatismo surrealista só podem combater o declínio total através de uma conversão radical. (...) O Homem está a perder o seu lugar central na arte. Só após a falência do homem autónomo é que este reconhecerá que não é idêntico à falsa imagem que sacrilogamante criou de si mesmo. Mas se o Homem renunciar à imensa vaidade, se se conceber como uma ínfima parte do infinito, poderá encontrar o lugar que lhe compete. Então poderá dar-se a humanização e a identidade, na época da materialização, do tédio, do distanciamento. A glória do Homem, com as suas consequências - a sua destruição e a sua escravidão - é a decadência. É primordial que o Homem se liberte do peso das suas pretensões indevidas para criar um mundo orientado por uma ordem mais eterna."

Carl Lazlo, em Panderma 4, 1959

Imagem: Debbie II de H.R.Giger (www.giger.cz/17.html)

De nacionalidade suíça, H.R. Giger é um pintor, escultor e desenhador de cenários, galardoado com um oscar em 1980 pelo seu trabalho no filme Alien. Durante toda a sua carreira, Giger tem criado estranhas paisagens de pesadelo, contendo imagética com conotações sexuais e representações de corpos humanos e maquinismos, interligados numa simbiose surreal e fria. As suas obras, consideradas perturbadoras por muitos, são talvez extensões de uma desordem do sono que o atormenta com terrores nocturnos. 

música: Little By Little (Groove Armada)

publicado por V.A.D. às 02:23
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Dezembro de 2006

Papillon

Este Natal fui agraciado com alguns presentes deveras interessantes, e neste lote estava incluído este eterno clássico do cinema, datado de 1973, que conta a história de Henri "Papillon" Charriére, acusado e condenado por homicídio. Desterrado para a colónia penal de Saint Laurent, na Guiana Francesa, nunca se resignou a pagar por um crime do qual sempre se disse inocente. Tentou por diversas vezes evadir-se, até que finalmente o conseguiu, após anos sob condições totalmente desumanas. Um filme com desempenhos magistrais de Steve McQueen no papel de Papillon e de Dustin Hoffman como Dega, companheiro de prisão. Impressiona o realismo das cenas, impressiona a crueza com que é retratado um sistema prisional que assumidamente não serve para a reabilitação, mas impressiona sobretudo a tenacidade de um homem que perante a adversidade nunca se vergou. Vi o filme ainda criança, retive na memória algumas das cenas, mas o que me verdadeiramente marcou foi a noção de que um espírito verdadeiramente livre não pode ser amordaçado. Revi o filme ontem. Tal como um espírito livre, este filme não envelhece.

Imagem: Papillon Poster ( www.impawards.com/1973/papillon_ver1.html )


publicado por V.A.D. às 01:20
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

.quem eu sou...


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Giger

. Papillon

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

SAPO Blogs

.subscrever feeds