Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2008

Eclipse...?

A felicidade é um estado de alma, não carece de bens materiais, não requer formalidades. Sente-se no clamor das cidades, nos pormenores infinitesimais, no doce silêncio da calma. As cores de um pôr-do-sol estival, a visão de um raro eclipse lunar, o fulgor de uma estrela brilhante… É alegria contagiante, um fugaz momento de encantar, uma sensação de plenitude total. É emoção de simples abraço, paladar de exótica iguaria, extravagante essência de violetas. É picante de tabasco e malaguetas, vibrante orgasmo que eleva e extasia, é desenho de fino traço…

E agora vou à rua, ver a lua que se eclipsa!

Imagem: Eclipse Lunar (www.nomad4ever.com/wp-content/uploads/2007/08/lunar_eclipse_as_seen_from_earth.jpg )


publicado por V.A.D. às 03:05
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De **** a 22 de Fevereiro de 2008 às 00:00
"É alegria contagiante, um fugaz momento de encantar, uma sensação de plenitude total" - Nesta noite o único céu nocturno que vi foi o do desktop, salpicado até altas horas pela brilho alvo das páginas dum trabalho um tanto quanto atrasado. Contudo lembro-me do último eclipse lunar em que saí para a rua e ao regular entusiasmo que sinto pela noite, à "plenitude" que quase consigo tocar a essas horas de negrura, juntou-se a paixão extasiante de outros leigos e de vários especialistas.
Apagaram-se as luzes do quarteirão para não interferir com os telescópios e todos ficámos à espera que a lua seguisse o exemplo, que do brilho branco passasse a laranja e depois desse completo protagonismo às estrelas que salpicavam o céu. Instintivamente, mantivemos sempre baixo o tom das óptimas conversas que se multiplicavam como se até isso pudesse estragar esse tão "fugaz momento de encantar".

Beijos
que esta noite também seja maravilhosa,
e que, com ou sem lua, mas nunca abdicando da escrita, sintas essa felicidade que sabe a "picante de tabasco e malaguetas, vibrante orgasmo que eleva e extasia, é desenho de fino traço"

Sophia


De V.A.D. a 23 de Fevereiro de 2008 às 01:45
De cinco em cinco minutos lá ia eu até à rua, o orvalho sobre a relva e a frescura da noite trazendo-me um arrepio delicioso, as nuvens esparsas permitindo a visão intermitente da Lua, o pedaço de escuridão crescendo até fazê-la desaparecer, os binóculos compensando a inexistência de dispositivo óptico mais eficiente...

Pertinho da cidade, tenho a felicidade de viver no campo; as luzes artificiais não são tão intensas a ponto de conspurcar a magnitude da noite, também ela um tempo favorito...

E de pequenas partes se faz um tempo feliz. A escrita só é deixada de lado se os cansaços derrotarem a vontade... :-)

Amiga, espero que as páginas do teu trabalho se tenham já enchido de caractéres eloquentes e que possas aproveitar muitíssimo bem o teu fim-de-semana, sem obrigações de espécie alguma!

Um beijo e um enormeeeeee sorriso... :-)

P.S. Desculpa-me o atraso na resposta. Ontem, as pálpebras recusaram-se a colaborar... :-)


De Emanuela a 22 de Fevereiro de 2008 às 01:56
A felicidade é um estado de alma que muitas vezes se eclipsa de nós...Num instante somos alegria e extase e no momento seguinte vemos tudo evadir-se.
Ainda bem que eclipses são raros...
Beijinhos.


De V.A.D. a 23 de Fevereiro de 2008 às 01:49
Amiga, nunca queremos que certos estados de alma se eclipsem, mas o inevitável é muitas vezes isso mesmo: algo de imprevisto que não pode ser contrariado...
Importa que as nuvens se dissipem, levando com elas a sombra de dias cinzentos...

Desejo-te uma óptima noite e um fim-de-semana pleno de alegre serenidade!

Um beijo e um enormeeeeeee sorriso... :-)


De mnike30 a 22 de Fevereiro de 2008 às 08:55
Hummm...
Bem que eu achava que um certo comentário deveria ter honras de post...

Sabes, ontem vi a Lua...
Acho que o eclipse lhe fez muito bem.
Sabes como estava a Lua ontem ao anoitecer? Amarela e cheia de si mesmo... estava enorme!
:)
Beijinhos


De V.A.D. a 23 de Fevereiro de 2008 às 01:58
Hummmm... Parece-me que pensámos exactamente da mesma forma: não resisti a publicar o poema, acrescentando-lhe mais uns versos. Foi construído com uma rara espontaneidade e, mesmo sabendo que não é nenhuma obra imorredoura, eheheheh, achei-o digno de publicação... :-)

Eu também vi a Lua, ainda cheia, para vir a ser tomada pelas sombras até aparentemente desaparecer... É um fenómeno que, embora comum, nunca deixa de me extasiar... :-)

Desejo-te uma noite luminosa e um magnífico fim-de-semana!

Um beijo e um sorriso enorme, que nada tem de amarelo... :-)


Comentar post

.quem eu sou...


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

. Regresso

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

SAPO Blogs

.subscrever feeds