Quarta-feira, 12 de Setembro de 2007

Instante

“O Agora é este instante, um bebé recém-nascido, um velho moribundo, a sede de todas as esperanças, um átomo de tempo sem preparação, um ramo da árvore da existência, um fotograma do filme em que somos os protagonistas, a palavra que neste indefinível momento é lida no Grande Livro. É a materialização de todos os passados, indestrutíveis e preciosos, contudo esfumados e difusos, assente sobre a inacabável sucessão de momentos. É a condensação de todas as alternativas possíveis num ponto temporal tão concreto como insubstancial, instantaneamente posto de parte, relegado para o amontoado de momentos pretéritos, para que um novo e mais actual ponto existencial se forme. O Agora é algo que se experimenta, é um toque, um cheiro, um som, um olhar, um sabor, um pensamento fugaz, um raciocínio ilusório, ou talvez um inane e onírico tempo, destituído de forma, envolto na bruma fantasmagórica de um sono sem sonhos. Pode ser um vislumbre daquilo que se é, uma memória daquilo que se foi, ou a invenção do que se poderá ser…”

V.A.D. em Algures.

Imagem: Instante (http://infinitezoom.com/gallery5/instant.jpg)

música: Encosta-te a Mim (Jorge Palma)

publicado por V.A.D. às 02:07
link do post | comentar | favorito
|
14 comentários:
De In a 12 de Setembro de 2007 às 02:34
E a poesia continua, com uma "banda sonora" escolhida a dedo...

Um beijo...


De V.A.D. a 13 de Setembro de 2007 às 01:12
A banda sonora é de extrema importância… Serve como complemento, e ajuda-me na transcrição dos pensamentos… :-)

Um beijo...


De melissa.yedda a 12 de Setembro de 2007 às 02:51
TEMPO!
O tempo presente já foi. É passado!
_Quem é?
É o medo. Não conta o segredo.Não desvenda o futuro.
Há um muro!
Que tolda a visão, impede o clarão ao entendimento.
Vazio.
_É assim o futuro? É preciso moldá-lo?
Será que há tempo, ou se foi o momento e passado o presente...é futuro?
Tempo...Passando. Fluindo. Dançando.
O tempo se esvai.
Escorre entre os dedos, se perde, se escoa...
O tempo se vai, sem jamais se acabar.
O tempo...

Abraços!




De V.A.D. a 13 de Setembro de 2007 às 01:13
Gostei muito da forma como foi feita a tua reinterpretação. Sem dúvida, o tempo não pára, nem espera por nós. Há que viver o momento, olhando o futuro… :-)

Um beijo...


De Melissa a 13 de Setembro de 2007 às 02:06
Nào amigo, não foi uma reinterpretação... Na verdade este texto estava pronto para ser publicado, mas não resisti quando percebi que o assunto era o mesmo...Um abraço!


De V.A.D. a 13 de Setembro de 2007 às 02:38
Volto a afirmar que adorei o teu texto... :-)
Obrigado por não teres resistido.

Um beijo... :-)


De dhyana a 12 de Setembro de 2007 às 13:44
Nem acredito que voltaste e não me disseste nada...
Mesmo zangada estou feliz por estares de volta. Estou a ver que foram boas as férias...
Gente nova, cheiros novos. Espero que te tenha feito bem e te sintas renovado.
Beijos saudosos...


De V.A.D. a 13 de Setembro de 2007 às 01:14
Oh, amiga… Peço-te que me desculpes. Nada disse pois não sou de anunciar a minha presença…
As férias foram, de facto, muitíssimo agradáveis, mas não nego que senti saudades da leitura de certos blogs, cujos textos sempre me maravilham ;-)
A readaptação à rotina está a ser penosa, mas estou certo de que até ao final da semana tudo irá entrar nos eixos.
Espero que o teu tempo de ócio tenha também sido muito positivo, e que te encontres preparada para o labor dos meses que se avizinham.

Um grande beijo…:-)


De gata a 12 de Setembro de 2007 às 17:03
BUH!!
De cortar a respiração porque não se pode nem quer parar de ler!

Que vida neste instante!

Meu beijo de gata para ti!



De V.A.D. a 13 de Setembro de 2007 às 01:15
Um simples momento pode conter tanto…:-) Obrigado palas tuas gentis palavras.
Votos de uma magnífica noite.

Ah…! Considera esse teu beijo retribuído! :-)



De Emanuela a 12 de Setembro de 2007 às 21:46
Como sempre, um lindo post. E a música, para mim é nova, mas maravilhosa! Um abraço!


De V.A.D. a 13 de Setembro de 2007 às 01:18
Esta música é a cor que resolvi dar a esta "pintura" a que chamei de "instante"... :-)
Obrigado, amiga, pelas gentis palavras.
Votos de uma excelente noite.

Um beijo...


De alexiaa a 13 de Setembro de 2007 às 19:34
Não fosse eu a mulher dos instantes....adorei o texto mas amei uma passagem em particular!

Pronto...assim já me encosto a ti( ti=vad) sem medo de adormecer de tédio:))

Beijinho


De V.A.D. a 14 de Setembro de 2007 às 01:13
Encosta-te a mim... :-) Tens de reconhecer que o tema é absolutamente fabuloso!
Sinto-me honrado por saber que gostaste do texto; presumo que enquanto o lias não te deu o sono, eheheh :-)

Um beijo...:-)


Comentar post

.quem eu sou...

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

. Regresso

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

blogs SAPO

.subscrever feeds