Segunda-feira, 23 de Julho de 2007

O Velho

“O velho louco apareceu na aldeia, ao cair da tarde. Arrojava os pés pelo chão, fazendo dançar a poeira, e os cães ladravam à sua volta, enquanto avançava mecanicamente. Carregava nas costas todos os seus pertences, encafuados numa velha e esburacada saca de serapilheira, segura pela mão sã. Vergado pelo peso dos anos, com o braço doente inerte e a cabeça descaída, ia proferindo palavras sem nexo, entrecortadas por uma tosse tísica e violenta. Um sorriso demente perpassava a espaços os seus lábios cinzentos, meio escondidos pela barba rala e amarelecida pelo tempo, e a insanidade estava presente no olhar esbugalhado e penetrante que lançava aos miúdos que se metiam com ele. A sua presença já não era vista com desconfiança; há muito que as gentes daquela aldeia perdida na província sabiam que ele era inofensivo. Perdera a razão ainda jovem, quando um acidente o deixara às portas da morte, e desde que saíra do hospital não mais tinha deixado de vaguear, talvez em busca do futuro brilhante que o abandonara…”

V.A.D. em Algures.

Imagem: Velho (Original não alterado em: www.hulubei.net/tudor/photography/photos/O/l/Old-Man-1-500x750.jpg)

música: Hurt (Johnny Cash)

publicado por V.A.D. às 01:38
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Oscar Luiz a 23 de Julho de 2007 às 02:33
Boa noite meu amigo V.A.D.
Na verdade vim aqui rápido pra lhe desejar uma semana produtiva, mas vir aqui é mesmo "embasbacante"...
È impossível sair de mãos vazias.
E o pior: dá mesmo vontade de levar tudo de uma vez...
Mas vou me conter e levar apenas mais um dos seus fantásticos posts...
Um grande abraço meu amigo.
E como eu vim dizer: tenha uma ótima semana!


De V.A.D. a 24 de Julho de 2007 às 01:27
Boa noite, amigo Óscar. É sempre um prazer ler as suas gentis palavras, que agradeço.
Sinto-me orgulhoso por ver algumas das coisas que escrevo publicadas no seu blog.
Formulando também o desejo de que a sua semana seja magnífica, deixo-lhe um grande abraço!


De dhyana a 23 de Julho de 2007 às 16:10
Velhice.
É o penúltimo degrau na estrada da sabedoria.
Beijos...


De V.A.D. a 24 de Julho de 2007 às 01:31
A experiência acumulada durante uma vida inteira tem um valor inestimável. Pena é que os velhos sejam tão ignorados nas sociedades ocidentais.
Pobres daqueles a quem a velhice traz também a demência. Enchem-me de pena, e não deixo de sentir um certo medo daquilo que poderei encontrar dentro de algumas décadas... Se lá chegar, claro... :-)
Votos de uma excelente noite.

Beijos...


De teresworld a 24 de Julho de 2007 às 00:03
Ao ler este texto velhas recordações assolaram a minha memória e recordei uma senhora, a quem chamavamos "Maria das sacas". Nos sacos, e eram muitos, carregava uma vida inteira, percorrendo ruas e ruelas da minha infância.
Adorei o texto...

Teres


De V.A.D. a 24 de Julho de 2007 às 01:41
Duas figuras da minha infância serviram de inspiração a este texto. Um dos velhos ainda é vivo, e frequentemente deambula pelas ruas da aldeia onde nasci, em busca do sonho perdido, transmutado num copo de vinho... Continua a proferir palavras que só ele entende e a rir de coisas que só ele escuta...
Obrigado!

Um beijo...


De Dafne a 24 de Julho de 2007 às 00:38
Nós, seres humanos, ficamos muitas vezes á merce de um destino que de forma alguma escolhemos. E quem poderia explicar o porque? Minha mãe sempre falava:"O homem propõe e Deus dispõe". Será?Um abraço!


De V.A.D. a 24 de Julho de 2007 às 01:51
O destino às vezes pode parecer cruel... Mas quem sabe o que vai na mente do velho do meu texto? Terá ele noção do que é a infelicidade? Haverá ódio e desespero, inveja e crueldade naquela simplicidade demente? Não há certezas nem explicações definitivas para muitos dos caminhos tortuosos que o destino leva um indivíduo a percorrer...
Votos de uma magnífica noite!

Um beijo...


De Dafne a 15 de Outubro de 2009 às 19:11
Ele, talvez, esteja feliz em seu pequeno mundo... Mas, e os que o amam? Não sofrem por ele uma perda em vida? Quando a mente se fecha , não deixando que o sentimento dos que nos amam seja capaz de alcançar-nos, poderão não sofrer? Saber que existe, mas que tornou-se intocável, vivendo num mundo completamente alheio, distante de todos... Imagino que deve ser bem difícil!

(Ps: Como não há novas publicações, teus leitores se veem obrigados a reler as antigas...)

Grande abraço


Comentar post

.quem eu sou...


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

. Regresso

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

SAPO Blogs

.subscrever feeds