Sexta-feira, 1 de Junho de 2007

Tempo

Pela visão clássica ou do senso comum, o tempo corre como um rio constante, alheio às nossas actividades e indiferente aos nossos desejos. É também verdade que a nossa percepção do tempo é subjectiva e varia, não apenas de pessoa para pessoa, mas também para o mesmo indivíduo, de acordo com aquilo que ele está a fazer: “o tempo voa quando nos estamos a divertir”. No entanto, a maioria das pessoas concordaria quanto à existência de uma indiscutível, absoluta e objectiva realidade, na qual o tempo flui inexoravelmente para a frente. Qualquer menção de que esse fluxo possa ser acelerado, retardado ou alterado de alguma forma soa como pura fantasia. Contudo, hoje os cientistas falam sobre um tempo elástico que pode ser tanto comprimido quanto esticado. Com a maior das naturalidades, eles teorizam sobre lugares exóticos onde o tempo se mantém parado ou até cessa de existir e em publicações científicas pode-se ler sobre não menos estranhas partículas subatómicas que viajam recuando no tempo. Algumas experiências têm vindo a confirmar estas teorias, provando que realidade é mais extraordinária do que alguma vez poderíamos supor…

Imagem: Ampulheta (http://i41.photobucket.com/albums/e295/petre_andrei/44.jpg)

música: As Time Goes By (Louis Armstrong)

publicado por V.A.D. às 02:26
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De In a 1 de Junho de 2007 às 03:24
É curioso como tanta coisa que aprendemos nas histórias de ficção científica acaba por se "transformar" em realidade.
Quantas coisas que hoje fazem parte do nosso dia-a-dia eram há 50 anos pura ficção?
Até onde chegaremos?

Um abraço!

PS: e porque será que o tempo, à medida que vamos "envelhecendo", vai passando mais depressa...


De V.A.D. a 2 de Junho de 2007 às 01:35
Creio que os escritores de ficção científica são, de certa forma, os visionários dos tempos modernos, aliando a imaginação ao conhecimento, modelando assim futuros possíveis.
É bem verdade aquilo que refere, quanto à concretização hoje de coisas que ontem eram ficção. E nem precisamos de recuar meio século. Basta que olhemos para as "novas tecnologias" para nos apercebermos de quão rápida tem sido a evolução nessa área. Não sei qual é o limite, nem tão-pouco se haverá algum...
Posso ensaiar uma resposta à sua questão final, mas não conseguirei ser conclusivo: creio que as responsabilidades, os compromissos e as metas, que a nós próprios impomos, nos absorvem de tal forma que parece que o tempo de que dispomos não chega para nada, limitando-se a passar por nós...

Votos de um excelente fim de semana, com tempo para viver, e sem tempos marcados... :-)

Um abraço!


De Dhyana a 1 de Junho de 2007 às 16:29
Partícula Subatômica, é a designação genérica daquelas cujas dimensões são muito menores que as de um átomo. De repente sinto-me uma gigante!
Atualmente, os estudiosos através de exercícios teóricos e experimentos práticos procuram teorias para unificar e simplificar o estudo da estrutura universal, cujo tecido se desdobra a cada nova descoberta. Será que um dia vamos finalmente "COMPREENDER" tudo?!!! Espero que não! A inteligência humana assusta-me.
Não consigo ler o teu blog sem querer saber algo mais.
Bom fim de semana...


De V.A.D. a 2 de Junho de 2007 às 01:59
Já Albert Einstein havia tentado, sem sucesso, desenvolver a "teoria de tudo", a chamada Teoria do Campo Unificado, na qual uma só fórmula matemática conseguiria explicar as quatro forças elementares da natureza. Actualmente, alguns passos titubeantes têm sido dados nesse sentido, e é de esperar que, mais cedo ou mais tarde, se atinja essa meta.
Contudo, creio que isto não é motivo de receio. Nunca conseguiremos saber tudo, pois há medida que o saber avança, tomamos conhecimento de novos e mais profundos enigmas, tornando infindável a busca de soluções...
Agradeço a tua visita e as tuas palavras, e desejo que o fim de semana supere as tuas expectativas... :-)

Um beijo...


De Oscar Luiz a 2 de Junho de 2007 às 23:52
Não importa como o tempo corre.
O que importa é que ele é implacável conosco!
Não há como fugir!
Um abraço!


De V.A.D. a 3 de Junho de 2007 às 02:25
A passagem do tempo é algo de inevitável para nós, simples humanos. No entanto, no mundo da mecânica quântica, estranhos fenómenos ocorrem. Um mero vislumbre dessa realidade pode revelar-se uma maravilha...
Votos de um óptimo domingo.

Um abraço!


Comentar post

.quem eu sou...

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

. Regresso

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

blogs SAPO

.subscrever feeds