Quinta-feira, 3 de Maio de 2007

Fúria

Toda a fúria é insana e não há fúria limpa; é uma coisa suja, nascida nas partes mais profundas e arcaicas do nosso ser, feita de rugidos surdos a raspar a garganta, e de raciocínios toldados pela incoerência das emoções reptilianas, vindas de uma época em que os corpos chafurdavam na lama imunda dos pântanos devonianos. A fúria rasga a mente com a explosão cegante da adrenalina, e a invencibilidade, ilusória, encontra apoio na pontual resistência à dor e na insensatamente descomunal força física. Os impulsos mais básicos assumem o controle; a autoconsciência desvanece-se e importa somente a destruição do objecto que acendeu o rastilho deste estado de loucura violenta, desta doença repentina, que consome e atormenta. Pode ser que assim o mundo, subitamente incompreensível e injusto, se desfaça numa miríade de pedaços...!

Mas, no centro do mecanismo humano, vive também a racionalidade. Há que respirar pausadamente. Há que pensar, há que serenar…

Imagem: Fúria (www.phirebrush.com/issues/38/artwork/mysnapz%20-%20rage.jpg)

música: Creep (Radiohead)

publicado por V.A.D. às 02:30
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Dhyana a 3 de Maio de 2007 às 12:52
A medida que a furia avança, a verdade e a racionalidade, recuam.
Adorei o texto.
Nós mudamos de "casa".
Abraço.


De V.A.D. a 4 de Maio de 2007 às 01:22
Até se costuma dizer que a fúria é cega. E esta é uma daquelas poucas verdades que se podem considerar absolutas... :-)
Obrigado pela visita. Já tinha notado que a casa foi "demolida", e fiquei cheio de pena... Gostava de te ler; poderei continuar a fazê-lo...?

Um abraço.


De Insideout a 3 de Maio de 2007 às 20:50
A fúria é um dos sentimentos mais difíceis de se controlar, sem dúvida. Requer um elevado conhecimento de nós mesmos, que permite conseguir atingir um certo controlo perante situações adversas. Penso que é possível controlar todo o tipo de impulsos, utilizando, como referes, a racionalidade, o pensamento crítico, a reflexão.

Gostei imenso do post.

Um beijinho.


De V.A.D. a 4 de Maio de 2007 às 01:30
Concordo com a possibilidade de se controlar os impulsos, mas isso, como mencionas, requer uma maturidade que em alguns é inata e noutros nunca é atingida.

Beijinhos :-)


De roseli de lima a 20 de Agosto de 2009 às 17:03
goste deste texto, é exactamente o q acontece comigo, mais não sei o que fazer p/ controlar tanta raiva as vezes acho que estou ficando louca, muitas vezes quando do por conta estou quebrando as coisas em casa, tipo copo, prato etc. Na ultima fúria q tive passei dos limites bati no meu marido joguei garrafas , comidas moveis tudo no chão.

Não sei mais o que fazer, voces ai tem alguma dica do q posso fazer p/ conseguir me controlar.......

vlwww


Comentar post

.quem eu sou...

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

. Regresso

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

blogs SAPO

.subscrever feeds