Sábado, 13 de Janeiro de 2007

Não sabemos que não sabemos

O homem não é, nem nunca será o deus diante do qual outro homem se deve ajoelhar. Ninguém , portanto, é omnisciente. Cada descoberta científica baseia-se numa ignorância consciente, num saber que não sabemos nada de absolutamente certo. Se Platão é o sábio que sabia distinguir entre o bem e o mal, já Sócrates afirmava que sabia que nada sabia, revelando por isso a conciência dos limites do conhecimento. O problema da ignorância não é, no âmbito científico, menos importante e  fascinante que no campo filosófico. O que distingue um cientista de um não-cientista é o facto de que o primeiro confessa imediatamente a própria ignorância. Na verdade, só à base dela é que surge o seu desejo de conhecer. Se soubesse tudo não se questionaria nem daria início a nenhuma pesquisa. Nenhum caminho pode ser conhecido com antecedência. A pesquisa científica é uma uma viagem, uma experiência em que se percorre um caminho que ainda não havia sido desbravado, e o cientista, ao encetar a tarefa, reconhece o seu desconhecimento, manifestando em simultâneo a vontade de aprender. O não-cientista crê e afirma, sem provas, que o caminho existe e até opina sobre o trajecto... Mas como alguém disse, crer não é saber...

Pensemos no cientista como um especialista do desconhecido, um homem que assume a afirmação de Nietzsche "é do caos que nascem as estrelas".

Imagem: Pensador (www.bioteams.com/collaborative_t.jpg)

Fontes: Che cosa è la conoscenza de Heinz von Foerster, Sci-Am Brasil, L'elaborazione del mito de H. Blumenberg

música: The Scientist (Cold Play)

publicado por V.A.D. às 23:14
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De cigana a 15 de Janeiro de 2007 às 11:08
Sempre gostei muito de Filosofia e achei o teu post muito interessante. Felizmente que não temos a arrogância de pensar que sabemos tudo, pois existe um infinito por desbravar, e eu quero lá estar nessa expedição ao interior de nós mesmos.


Comentar post

.quem eu sou...

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

. Regresso

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

blogs SAPO

.subscrever feeds