Sábado, 27 de Março de 2010

Apontamento

Toda a matéria gera ao seu redor um campo gravítico, uma deformação na estrutura do Espaço, cujo grau de grandeza é proporcional à massa. É comum ver-se a representação pictórica deste conceito em imagens nas quais um objecto esférico, assente sobre uma superfície macia, altera a planura dessa mesma superfície. Contudo, a figuração usual é incompleta, na medida em que o Espaço é um volume tridimensional e não um plano sobre o qual os corpos celestes se deslocam. A deformação ocorre, pois, curvando o Espaço sobre si próprio. Se uma grande quantidade de matéria estiver concentrada numa região suficientemente pequena, o campo gravítico gerado encurvará de tal forma o Espaço em torno do objecto que ele ficará autocontido e isolado do resto do Universo por um horizonte de eventos.

Antes da Grande Explosão, toda a matéria e energia do Universo estavam contidas numa singularidade cósmica, o Ovo Primordial que tudo abrangia, negando peremptoriamente a exterioridade da tessitura espácio-temporal, numa nudez impossível de ser contemplada, na medida em que nem o horizonte de eventos pode existir no “não-espaço”. Destituída de sentido é pois a representação do nascimento do Cosmo como um evento passível de ser observado de um referencial que não o interior. O espaço-tempo – e as sete dimensões adicionais de curvatura a tender para o infinito – sempre existiram dentro do Todo, qualquer que fosse ou seja a sua finita dimensão.

 

Imagem: Singularidade (http://www.proetcontra.com/wp-content/uploads/singularity.jpg)


publicado por V.A.D. às 02:00
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De L. a 27 de Março de 2010 às 10:54
O que importa é o núcleo. Bom ver-te de regresso.

Sorrisos:))


De Mónica a 27 de Março de 2010 às 11:08
...então tudo é tempo e espaço... logo, dentro do todo significa que nós e a nossa matéria somos viajantes do espaço e do tempo (sempre e desde sempre, porque tudo está dentro do todo a todo o momento e em todo o espaço)...

Olá VAD, eu sou a Mónica e já não tenho blogs lol, mas continuo fã das tuas odisseias ...

e se tudo é espaço e tempo não há necessidade de nos deixarmos controlar por essas duas constantes porque tudo é sempre o mesmo momento...

continuamos a apostar no alcance do que vemos com os nossos sentidos físicos e no entanto sabemos que somos muito mais do que apenas matéria, somos partículas integrantes do todo e a todo o instante, isso sugere-me que somos uma consciência infinita (no antes, no agora e no depois), porque somos energia em movimento, através do espaço e do tempo.

voltasti!
Fixe!
Eu sabia que andavas por aí!
Beijinho
Mónica


De V.A.D. a 30 de Janeiro de 2011 às 22:25
Olá, Mónica :-)

Tenho andado arredado da blogoesfera; "outros valores mais altos se têm alevantado", e só agora arranjei disponibilidade para responder a alguns comentários gentilmente feitos por algumas pessoas que estimo.

Somos realmente viajantes no espaço e no tempo, mas o Tempo é uma dimensão especial, na medida em que só a podemos percorrer num sentido. Não concordo contigo quando dizes que tudo é sempre o mesmo momento. Cada "agora" sucede a um instante anterior, ao qual deixamos de ter efectivo acesso; o passado é-nos vedado pela direcção da "seta do tempo", definida aquando do (re)nascimento do nosso Universo. É possível que o sentido da dita seta se venha a inverter, quando a expansão do Cosmo parar e o espaço começar a contrair-se...

Temos de basear as nossas percepções nos sentidos físicos... Apesar de imperfeitos e limitados, são eles que nos permitem aceder a um certo grau de realidade, embora ache que a "realidade intrínseca" seja muito mais profunda do que aquilo que podemos sequer vislumbrar...

Cada átomo do nosso corpo, com excepção dos de hidrogénio, foi criado por fusão nuclear no coração de uma estrela. Somos "filhos" do Universo e um dos mais magníficos exemplos da contradição da entropia, mas não creio que sejamos muito mais que um "software" a funcionar num "hardware", computadores biológicos aperfeiçoados por milhões de anos de evolução. Funcionamos em rede, mas apenas e só enquanto o harware de cada um de nós se mantiver operacional... :-)

Vou andar por aí... E espero que leias esta minha reposta; ainda que tardia é dada com grande prazer.

Um beijinho
V.A.D.


De Emanuela a 16 de Abril de 2010 às 13:30
Bom dia!
É sempre muito bom ver-te por aqui, poder ler-te!
Imagino que só tens postado quando isto de fato é uma necessidade para ti. No entanto, tenho pena, pois teus artigos são sempre muito interessantes, os assuntos abordados aguçam nossa curiosidade. Então, mais uma vez manifesto-me (embora não tenhas pedido minha opinião): sempre que tiveres disposição, publica, sim? Podes ter a certeza de que estás contibuindo para que, quem te leia, busque aprender mais.

Um grande abraço


De S a 2 de Junho de 2010 às 09:49
Já tinha saudades destes teus posts.
Espero que estejas bem, meu amigo.


Comentar post

.quem eu sou...


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

. Regresso

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

SAPO Blogs

.subscrever feeds