Domingo, 28 de Setembro de 2008

Para Além

“Para além do suave balançar dos barcos ancorados no azul calmo das águas, muito para lá dos montes enevoados, indistintos no ar cálido da tarde brilhante, muito acima de um horizonte de luz intensa e suaves sombras, alheia a tudo o demais e centrada numa única e fundamental razão, a mente saboreava cada momento, cada toque representando a imensidão do Cosmo, cada olhar devaneando a infinitude de incontáveis Multiversos, cada vontade agigantando-se nos tragos de uma bebida há muito apalavrada. Nem a brisa marinha era capaz de assumir a habitual relevância, face a outras fragrâncias tão mais subtis e, contudo, sobejamente mais marcantes… E aquela grácil e permanente impressão de complementaridade, reafirmada dias depois em idílicos elos, num escutar de estrelas, num extasiante colorido de sabor a chocolate, num murmúrio de água corrente, cálida e refrescante, numa imensidão de sentidos despertos pela intensidade de emoções residentes para além de todos os imaginários…!”
Jeena kaisa pyar bina?”
V.A.D em Para Além
Vídeo: Face of Love (Rahat Nusrat Fateh Ali Khan & Eddie Vedder) (http://www.youtube.com/watch?v=3fjWMJSw03I)

publicado por V.A.D. às 03:00
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De Emanuela a 30 de Setembro de 2008 às 01:28
ALÉM
Pessoas
Que inventam na morte
Suporte
Pra viver a vida
Sofrida
Que ainda virá
Olhar no infinito
Bonito
Que acredita encontrar.
Pessoas
Que proferem palavras
Amenas
Apenas as que conheceram
No lar
E trazem no olhar, meditadas
Esperanças
De um tempo
Onde ainda crianças
Viveram
E foi lá que então
Aprenderam! (27.09.2008)
Não resisti, amigo. Quando li o teu Além, tive vontade de trazer-te este.
Beijinhos, espero que estejas bem!


De V.A.D. a 6 de Outubro de 2008 às 01:52
Reli, por diversas vezes, este teu "além"... Embora creia ser capaz de entender o significado geral do poema, que considero enigmático mas muito bonito, não fui capaz de estabelecer cabalmente a significância da "morte", na medida em que estou profundamente convicto que devemos celebrar a vida... :-)

Agradecendo as tuas palavras, retribuo os votos que formulaste, amiga!

Um beijo e um enorme sorriso... :-)


De Emanuela a 9 de Outubro de 2008 às 01:50
Poucos dias antes de deixar fluir de mim estas palavras que chamaste de poema (porque não elaboro, só vou colocando os sentimentos da minha maneira simples), estive no funeral de um tio que morreu de câncer, depois de passar por um longo sofrimento. O que presenciei ali foi o que me inspirou a escrever. A fé numa vida além da vida (morte como suporte desta vida terrena), a esperança simples que ainda constatei neles... É celebrar a vida, meu amigo. Porque celebrá-la quando todos os nossos projetos são abençoados, quando temos dons e oportunidades de vê-los florescer é fácil. Mas pra eles, o que resta são as mãos cheias de calos, a luta diária para manter-se com dignidade, a doença sem possibilidade de tratamento adequado. E ainda assim, presenteiam-nos com seus lindos sorrisos banguelas, com seus abraços cheios de calor, com sua certeza do amor do Deus da vida. Foi disto que eu falei neste meu Além, amigo! Nada mais do que isto.
Um abraço


De Velucia a 1 de Outubro de 2008 às 05:22
Olá V.A.D

Gostaria de comentar mas, minha mente está aquém de o fazê-lo.

Não atrevo a imaginar-me (mente) na imensidão do Cosmo.

Fique bem.


De V.A.D. a 6 de Outubro de 2008 às 01:57
Olá, amiga

Não creio que tivesse grandes dificuldades em tecer um comentário mais aprofundado em relação ao texto... Afinal, "a imensidão do Cosmo" não passa de uma metáfora, numa tentativa de expressar a infinitude das emoções que certos eventos proporcionam...

Agradecendo as suas palavras, também eu formulo os votos de que a vida lhe sorria!

Um beijo e um enorme sorriso... :-)


De **** a 2 de Outubro de 2008 às 15:17
"alheia a tudo o demais e centrada numa única e fundamental razão" - eis posto em palavras como me sinto ao ler o texto, saboreando cada leve ideia que vai sugerindo num encadear delicioso.
gosto da ideia de ir "para além"... de tudo - dos limites e desejos, regras e pressupostos. Reside um pouco na capacidade fabulosa que temos de nos ultrapassarmos, de nos maravilharmos, de vermos mais além da "infinitude de incontávfeis Multiversos" na qual vamos tropeçando.
Há sons, tonalidades, sentimentos, movimentos, "fragâncias tão mais subtis e, contudo, sobejamente mais marcantes", porque lhe damos mais importãncia, porque lhe atribuímos significado mesmo que seja de forma involuntária, porque a vivemos realmente. Saboreamos "cada momento, cada toque (...), cada olhar" dum modo diferente dos que nos rodeiam - quando sentiomos que alguém o faz de modo similar, então conforta-nos "aquela grácil e permanente impressão de complementaridade", cujo "colorido do sabor" vai "para além" das palavras...

Muitos Beijos
e desejo duma noite "para além de todos os imaginários...!"

Sophia


PS - que significa "Jeena kaisa pyar bina?"
PPS - é oficial... este foi o comentário mais acidentado que já escrevi!!!


De V.A.D. a 6 de Outubro de 2008 às 02:26
"Centrada numa única e fundamental razão" pode sintetizar muitíssimo bem o estado da minha "anima", nestes últimos tempos... :-)
Referes, de uma forma que subscrevo na íntegra, a "capacidade fabulosa que temos de nos ultrapassarmos"... É a ocorrência espontânea de certos eventos que leva a um despoletar de tantas emoções escondidas e de tantos sentimentos avassaladores, através de percepções até então desconhecidas... Há como que um despertar da mente, espelhado no incremento da frequência do pulsar da própria vida... Há como que uma profunda sinestesia, os sentidos confundindo-se no próprio fascínio da descoberta, deleitando-se na beleza do entendimento, regozijando-se com a maravilha da complementaridade... :-)

Embora o comentário possa ter sido acidentado na sua elaboração, o resultado agrada-me e agradeço a gentileza que sempre expressas por meio das palavras que me diriges...
Também eu te desejo uma noite magnífica, cheia de momentos oníricos :-)

Beijos e sorrisos ilimitados... :-)



De teresworld a 7 de Outubro de 2008 às 16:08
Por momentos consegui desprender-me
deste momento e libertar-me na
imensidão do cosmo... de belíssimos sons!
Magnifico!

Teres


Comentar post

.quem eu sou...


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

. Regresso

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

SAPO Blogs

.subscrever feeds