Quarta-feira, 30 de Abril de 2008

Luz (II)

“Luzes piscaram, frenéticas, a advertência de que o gerador iria ser colocado no ralenti, conforme preestabelecido, tomando a forma de indicação visual. Apercebeu-se do abrandamento, o zumbido que se lhe instalara em todas as fibras diminuindo até à cessação completa, o silêncio emudecendo o frenesi dos parsecs galgados sem tempo, novamente a invulgar noção de se separar de um corpo que se tornava indistinto, a névoa refulgente afigurando-se-lhe aliviada dos vinte e um gramas de si próprio. Curta foi a separação, a unicidade manifestando-se imperativa logo que no visor principal as décimas desciam abaixo de nove, a apneia transformando-se num suspiro, diafragma e músculos intercostais relaxando-se controlada e conscientemente para evitar a vertigem da fusão. Derivava agora no pélago estrelado da noite espacial. Deixara atrás de si o Sol reduzido a um pequeno círculo luminoso que prescindira de ferir a vista, os instrumentos de medida confirmando os cálculos efectuados meses antes, as mais de vinte e três mil Unidades Astronómicas transitadas podendo ser inequivocamente lidas no mostrador apropriado. Ligou os foguetes de manobra, a trajectória sendo corrigida até de novo ter a estrela à sua frente e quedou-se, deixando que alguns minutos passassem, deslumbrando-se com a solidão negra que o envolvia. Recompunha-se, assimilando a magnitude do engenho humano, preparando-se para o salto que o levaria de novo a casa, a estação espacial em órbita da Terra representando o lar que escolhera.

Regressou, duzentos e setenta dias mais tarde, a tempo de assistir ao nascimento do seu filho, concebido na noite antes da partida. Para ele, menos de uma hora havia transcorrido… Conquistara o futuro, a máquina provando o inequívoco mas paradoxal entrelaçamento entre velocidade, espaço e tempo.”

V.A.D. em Luz

Imagem: Estação Espacial (http://www-cache.daz3d.com/store/item_file/3564/image_medium.jpg)


publicado por V.A.D. às 15:00
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De ligeirinha a 30 de Abril de 2008 às 21:58
VAD , sabes? Eu gosto do que escreves mas não dá para eu ler de uma só vez.....tenho que ler e reler,para perceber.... tás a ver? Pela net tambem andam burras!
Bom fim de semana e um enormeeeeee sorriso!


De V.A.D. a 2 de Maio de 2008 às 02:17
Minha amiga, eu tenho plena consciência de que esta matéria não é fácil entendimento, pois leva-nos para o estranho mundo da relatividade einsteiniana, onde o tempo deixa de fluir na constância que o senso comum afirma. A velocidades crescentes, o tempo corre cada vez mais devagar para quem se desloca...

Não aceito a definição que fazes de ti própria. Ignorar certas matérias não tem nada a ver com burrice...! E, além disso, ninguém sabe tudo... :-)

Desejo-te uma magnífica noite!

Um beijo e um enormeeeeeeeeeee sorriso... :-)


De Pérola a 1 de Maio de 2008 às 22:44
Acho sempre fantástica a tua imaginação, que tão bem descreves nestes assuntos "espaciais". Era um tema sobre o qual eu não conseguiria escrever, quer pela falta de conhecimento, quer pela imaginação para o desenvolver. Já sabes, o que eu escrevo é sempre mais sobre as pessoas. Por isso gosto tanto de vir aqui, ler sempre coisas novas e diferentes. :)

Um beijo enorme e um noite muito estrelada! :*


De V.A.D. a 2 de Maio de 2008 às 02:22
Agradeço-te, amiga. As tuas palavras sempre gentis incentivam-me a escrever sobre estes assuntos tão pouco usuais. De facto, a relatividade einsteiniana fez predições que se têm vindo a confirmar, através de experiências bem sucedidas. O tempo realmente flui mais lentamente, à medida que a velocidade do observador aumenta. É algo que foge ao senso comum, mas que pode abrir as portas às viagens entre as estrelas... :-)

Também eu te desejo uma noite assim, estrelada e magnífica!

Um beijo e um enormeeeeeeeeee sorriso... :-)


De Fisga a 2 de Maio de 2008 às 16:26

Será bom não esquecer: Se a criança nascer na nave, pôr-lhe como nome de baptismo (Terráqueo/a) quem sabe. A criança um dia pode gostar de saber as suas origens.
Um abraço e bom fim-de-semana.




De V.A.D. a 3 de Maio de 2008 às 02:10
Ehehehe, aí está um excelente nome a atribuir ao bebé que nasceu no espaço, a estação em órbita da Terra servindo-lhe de berço... :-)

Votos de uma óptima noite e de um excelente fim-de-semana!

Um abraço.


Comentar post

.quem eu sou...

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.posts recentes

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

. Regresso

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

blogs SAPO

.subscrever feeds