Terça-feira, 4 de Março de 2008

Cidónia (VII)

“O verdadeiro alcance da descoberta só foi apreendido horas mais tarde, ia já o Sol inclinando-se para oeste, os redemoinhos enchendo de finíssimas partículas de poeira a delicada atmosfera brandamente aquecida, o céu iludindo os sentidos com uma paleta de cores quentes, pretensa negação do glacial clima marciano, o amarelo vivo da abóbada demudando-se em tons mais encarniçados até o vermelho vivo do sangue confundir o horizonte. Seguindo os planos previamente estabelecidos, havíamos investigado todo o perímetro da Face, os olhos bem abertos e a atenção redobrada na busca de novos vestígios alienígenas. Precisamente no lado oposto, uma abertura análoga afigurava-se-nos tentadora, insinuando-se num convite mudo cuja aceitação era apenas prorrogada, a ânsia de penetrar na escuridão contendendo com todos e quaisquer programas anteriormente elaborados. A necessidade de respostas impôs-se por fim, regressados que éramos ao ponto de partida. Verificámos as lanternas e avançámos, contendo a pressa e o frenesi instaurado em cada um de nós, as minhas palavras recomendando serenidade e cautela. Transpus o umbral e, nos inefáveis minutos que se seguiram, séculos de fantasia e lenda condensaram-se num cenário tão majestoso quanto real…”

V.A.D. em Cidónia

Imagem: Paisagem Marciana (www.mactonnies.com/firstcolor.jpg)

música: Mythodea - Movement 2 (Vangelis)

publicado por V.A.D. às 01:48
link do post | comentar | favorito
|
16 comentários:
De JoãoSousa a 4 de Março de 2008 às 21:26
assola-me a realidade nas tuas palavras, por tais descrições tão pormenorizadas e sentidas.
Transpus também o umbral, logo atras de ti, agora espero pelo que nos surgiu do outro lado :)


De V.A.D. a 5 de Março de 2008 às 02:12
Amigo, o poder das palavras espanta-me e chega a causar-me calafrios. Em tantos dos livros que já li, fui levado a viajar sem que me tivesse movido, a sentir emoções que não eram as minhas... Mesmo que não seja capaz de construir narrativas com a profundidade e beleza de tantas que já li, agrada-me saber que estas são agradáveis.

Um abraço.


De Emanuela a 5 de Março de 2008 às 01:24
A vontade de conhecer o que há do outro lado, quase sempre é mais forte que o medo da escuridão do desconhecido... Em casos como este, quantos já terão perecido sem conhecer o que buscavam?
Ansiosa pelas descobertas( no próximo capítulo?)...
Um beijinho


De V.A.D. a 5 de Março de 2008 às 02:15
Concordo plenamente com o que referiste, amiga. Há uma força inexplicável que leva o Homem a arriscar a própria vida, na ânsia de descobrir o que se esconde por detrás da escuridão, mesmo que metafórica.
O desfecho está próximo... :-)

Desejo-te uma magnífica noite!

Um beijo e um enormeeeeeeeee sorriso... :-)


De emanuela a 5 de Março de 2008 às 01:29
Esqueci de dizer: a música não podia estar mais de acordo...


De V.A.D. a 5 de Março de 2008 às 02:16
A música, tal como todo o álbum, é fabulosa...! :-)

Um beijo... :-)


De Cöllyßry a 5 de Março de 2008 às 19:18
A Alma sente para além...

Hoje só,voltarei para tudo ler com a divida atenção que merece...

Doce meu beijo


De V.A.D. a 6 de Março de 2008 às 02:12
A magnitude e beleza do Universo e os seus enigmas condensados num planeta que faz parte do meu imaginário. Marte sempre foi o objecto de todas as esperanças e especulações para quem, como eu, se maravilha com a cosmologia... :-)

Agradeço, amiga, as tuas palavras e a tua visita. Desejo-te uma magnífica noite!

Um beijo e um enormeeeeeeeee sorriso... :-)


De **** a 6 de Março de 2008 às 16:35
"os redemoinhos enchendo de finíssimas partículas de poeira a delicada atmosfera brandamente aquecida" - um paisagem duma calma profunda que em nada se deve identificar com a ansiedade de cada um dos personagens que nela se movem, de pulsão acelerada e mente inquieta.

"Transpus o umbral e, nos inefáveis minutos que se seguiram, séculos de fantasia e lenda condensaram-se num cenário tão majestoso quanto real…” - sob os ombros cuja largura era largamente amplificada pelo fato espacial repousavam pesadamente sonhos e espectativas de milhares de mentes novas e velhas, actuais e idas, sempre de homens brilhantes...

... e, um passo atrás, inclinava-se sobre ele uma rapariga perscrutando de olhos nunca quietos a escuridão, incitando-o a avançar num murmúrio que o mecanismo do capacete faziam parecer estarem a planetas de distância.


Beijos ansiosos pelo próximo passo
e uma óptima noite

Sophia


De V.A.D. a 8 de Março de 2008 às 03:17
Sabes, amiga, acho que o contraste, entre a aparente calma profunda da paisagem e as inquietudes dos intervenientes, resulta razoavelmente, uma espécie de equilíbrio precário sendo atingido na narrativa...

Consigo ter apenas um fugaz vislumbre do que poderia ser a visão de uma estrutura assim, abrindo-se literalmente ao Homem, a promessa de segredos revelados e de mistérios resolvidos insinuando-se nas mentes daqueles privilegiados...

Ao lado do protagonista, uma rapariga destemida vivia intensamente a aventura... :-)

Se aceitares o convite que aqui e agora te faço, um dos próximos contos basear-se-á num assunto à tua escolha e escrevê-lo-emos em parceria, cada capítulo da responsabilidade de um de nós, alternadamente, com direito a publicação simultânea nos respectivos blogs... Que me dizes...? :-)

Aguradando a resposta, desejo-te uma óptima noite e um excelente fim-de-semana!

Um beijo... :-)


De **** a 8 de Março de 2008 às 19:28
"uma rapariga destemida vivia intensamente a aventura" - esboçando um sorriso hesitante face a um novo ambicioso desafio, demasiado tentador, delicioso, sedutor para sequer pensar em recusá-lo.

"Que me dizes...?" - digo-te que foi inesperado, que me deixou atónica e, já gora, que o aceito pronta, alegre e efusivamente.
Quanto ao assunto preferia que fosses tu a sugeri-lo e que, quando quizesses, escrevesses então o primeiro capítulo.

Espero sinceramente estar à altura...

Muitos beijos
e um excelente fim-de-semana (o meu senão o for por completo, ao menos terá tido este excelentíssimo convite )

Sophia


De V.A.D. a 8 de Março de 2008 às 23:41
Fico satisfeitíssimo por saber que o convite foi aceite, amiga! Creio que sabes que tenho plena confiança nas tuas capacidades, ou não o teria endereçado... :-)
Conforme já deixei transparecer, acho fascinante a maturidade que revelas, seja através da tua capacidade de análise, seja pela forma como escreves, abordando os temas de uma maneira que indicia um elevado e precoce nível de conhecimentos.

Preferiria que o tema fosse escolhido por ti mas, se insistires, terei de pensar em algo que se adeque a este projecto, a ser iniciado assim que o timming te seja conveniente. Peço-te apenas uns dias, para recuperar do esforço mental que um conto sempre representa.

Caso seja eu a escrever o primeiro capítulo, posso usar o endereço do teu blog para o envio do texto, antes da publicação?

Aguardando a tua resposta, desejo-te uma óptima noite e um magnífico domingo!

Um beijo e um enormeeeeeeeee sorriso... :-)


De **** a 10 de Março de 2008 às 01:04
Lisonjeada pelo teu voto de confiança que muito significa para mim, mas ainda com mais receio de ficar um pouco aquém...

Peço-te para escolher o tema simplesmente por não ser capaz de eu própria efectuar tal escolha - demasiado dispersa para tal. Quanto ao timing fica também à tua escolha, sendo natural que precises de descanso depois deste "cenário tão majestoso quanto real". Podes utilizar o mail à vontade.

Beijos ansiosos
Sophia


De V.A.D. a 10 de Março de 2008 às 03:13
Confio plenamente nas tuas capacidades, demonstradas aliás pela magnificência dos teus textos e pela forma como tão maravilhosamente teces os teus comentários, amiga!

Já tenho um tema em vista. Deves ter já ouvido ou lido algo sobre a "máquina de Antiquitera". Talvez pudéssemos construir algo à volta deste fabuloso mecanismo... Durante a próxima semana, aprofundaremos esta hipótese, se achares conveniente... :-)

Desejando-te uma excelente noite, deixo um enormeeeeeeeee beijo, assim como um sorriso rasgado... :-)


De **** a 10 de Março de 2008 às 23:08
Acho muito conveniente... já tinha ouvido falar deste misterioso artefacto, mas tentarei agora aprofundar um pouco mais o pouco que sei sobre ele.
Acho que, a partir de agora, seria melhor comunicarmos por mail...

Pronta para o aprofundamentos

Muitos beijos
e uma noite inspirada

Sophia


De V.A.D. a 11 de Março de 2008 às 01:33
Sei alguma coisa sobre o artefacto, amiga, mas também terei de aprofundar os meus conhecimentos. Creio, aliás, que nessas investigações reside o interesse maior deste tipo de aventuras, a necessidade de pesquisar evitando a estagnação... :-)

Creio que quarta ou quinta-feira poderemos trocar ideias sobre os alicerces do conto.

Desejo-te uma excelente noite!

Um beijo e um enormeeeeeeeee sorriso... :-)


Comentar post

.quem eu sou...


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Curvatura

. O horizonte de eventos e ...

. Subjectividade

. O "capacete de deus"

. Apontamento (II)

. Apontamento

. Alter Orbe (II)

. Alter Orbe (I)

. Marte

. Regresso

.arquivos

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Fevereiro 2012

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Março 2010

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Blog Nomeado Para:

.contador

SAPO Blogs

.subscrever feeds